Ícone WhatsApp Contato Poytara (11) 96374-3640
Onde Comprar

Filtros

Imagem do produto Acará Bandeira

Acará Bandeira

O Acará Bandeira é um peixe de corpo achatado em formato de losango. Alguns tipos contam com listas e nadadeiras longas que também são chamadas de véu. Uma das principais características dessa espécie são as cores. O Acará Bandeira pode ser encontrado nas cores preto, albino, marmorato, listrado e leopardo. Embora os machos sejam um pouco maiores do que as fêmeas, na prática é difícil diferenciá-los. Segundo os criadores, para ter a certeza, somente na época de reprodução, quando os peixes passam a exibir seus órgãos como forma de atrair o sexo oposto. Apesar de sua popularidade, o disco é uma espécie indicada para aquaristas de nível intermediário/avançado pois vai exigir cohecimento e disciplina do aquarista. Ao contrário do que muitos pensam esta não é uma espécie sensível e delicada, o Acará Disco é bastante resistente principalmente contra agentes patógenos porém necessita de um controle parasitário periódico pois o seu hábito de comportamento dentro do aquário ( beliscando objetos e fuçando o fundo) faz com que ele fique mais exposto aos vermes presentes em todo e qualquer sistema. Sendo uma espécie gregária, vai exigir um volume mínimo de 200l e uma filtragem robusta pois podem atingir até 22 cm dentro de um aquário. É muito importante que o aquarista sempre observe o seu cardume principalmente na hora de alimentar pois a sua voracidade durante a alimentação é um excelente indicador de saúde. Uma vez que o disco é mantido num ambiente adequado, nutrido de maneira correta e com seu controle parasitário em dia, vai proporcionar ao aquarista uma beleza incomparável mostrando porque ganhou o título de rei dos Aquários. Se você quer ter a experiência máxima que o aquarismo pode proporcionar definitivamente o Acará Disco é a espécie indicada.

Imagem do produto Acará Disco

Acará Disco

Considerada uma das espécies mais desejadas no aquarismo, o peixe Acará Disco apresenta uma grande variedade de padrões de coloração, além de um comportamento bastante peculiar, encantando a grande maioria dos aquaristas. Dono de uma grande popularidade, o disco ocupa o lugar de Rei do Aquário, sendo cultivado, respeitado e admirado no mundo todo. Apesar de sua popularidade, o disco é uma espécie indicada para aquaristas de nível intermediário/avançado, pois vai exigir cohecimento e disciplina do aquarista. Ao contrário do que muitos pensam, esta não é uma espécie sensível e delicada, o Acará Disco é bastante resistente, principalmente contra agentes patógenos. Porém necessita de um controle parasitário periódico, pois o seu hábito e comportamento dentro do aquário ( beliscando objetos e fuçando o fundo) faz com que ele fique mais exposto aos vermes presentes em todo e qualquer sistema. Sendo uma espécie gregária, vai exigir um volume mínimo de 200l e uma filtragem robusta, pois podem atingir até 22 cm dentro de um aquário. É muito importante que o aquarista sempre observe o seu cardume, principalmente na hora de alimentar, pois a sua voracidade durante a alimentação é um excelente indicador de saúde. Uma vez que o disco é mantido num ambiente adequado, nutrido de maneira correta e com seu controle parasitário em dia, vai proporcionar ao aquarista uma beleza incomparável, mostrando porque ganhou o título de rei dos Aquários. Se você quer ter a experiência máxima que o aquarismo pode proporcionar, definitivamente o Acará Disco é a espécie indicada.

Imagem do produto Arraia Leopoldi

Arraia Leopoldi

A Arraia Leopoldi (Potamotrygon leopoldi) é uma espécie fascinante de Arraia de água doce originária da bacia do Rio Xingu, na região amazônica do Brasil. Conhecida por sua aparência única e comportamento intrigante, esta Arraia é muito apreciada por aquaristas devido à sua beleza e características distintivas. Características Físicas A principal característica da Arraia Leopoldi é o seu padrão de coloração marcante. Ela apresenta um corpo escuro com manchas brancas irregulares ou um padrão de mosaico que se assemelha a uma tapeçaria. Essas manchas brancas variáveis em tamanho e forma não apenas a tornam visualmente impressionante, mas também auxiliam na camuflagem no fundo, de rios e lagos, onde naturalmente habita. Em termos de tamanho, a Arraia Leopoldi é uma das menores espécies de Arraias de água doce, atingindo um diâmetro corporal de cerca de 25 a 45 centímetros quando adulta. Seu corpo achatado e circular é adaptado para nadar com facilidade próximo ao fundo do habitat aquático. Habitat Natural e Comportamento As Arraias Leopoldi são encontradas em águas rasas e claras, principalmente no leito de rios e lagos de água doce. Elas preferem áreas onde o fundo é coberto por areia, cascalho ou lodo, onde podem se enterrar parcialmente para se camuflar e se proteger. No ambiente natural, são criaturas geralmente solitárias que se alimentam principalmente de pequenos peixes, crustáceos, moluscos e outros invertebrados que encontram no fundo do rio. Elas possuem sensores elétricos ao redor da boca, que são usados para detectar presas enterradas na areia, destacando-se por sua adaptação fascinante ao seu habitat. Curiosidades Nomenclatura: O nome científico Potamotrygon leopoldi foi escolhido em homenagem ao Rei Leopoldo II da Bélgica, que financiou expedições científicas à Amazônia no século XIX. Conclusão A Arraia Leopoldi é uma espécie singular que exemplifica a biodiversidade e a beleza dos ecossistemas de água doce da Amazônia. Sua preservação é essencial não apenas para garantir a sobrevivência desta espécie, mas também para proteger o ambiente aquático complexo em que ela desempenha um papel vital. Para aqueles interessados em mantê-las em aquários, é crucial adquiri-las de fontes responsáveis e proporcionar um ambiente que atenda às suas necessidades naturais. Assim, podemos apreciar e proteger essa incrível espécie por muitas gerações futuras.

Imagem do produto Aruanã

Aruanã

O peixe Aruanã, também conhecido pelo nome científico Osteoglossum bicirrhosum, é uma espécie fascinante e magnífica encontrada nas águas tropicais da América do Sul, especialmente nas bacias do rio Amazonas e do rio Orinoco. Aqui estão algumas informações gerais e curiosidades sobre essa espécie impressionante: Aparência Majestosa: Os Aruanãs são conhecidos por sua aparência majestosa e elegante. Eles têm corpos alongados e comprimidos lateralmente, com grandes nadadeiras dorsais e anais que se estendem quase até a cauda. Sua coloração pode variar conforme a região, mas geralmente inclui tons de prata, cinza, verde e até mesmo azul em algumas variedades. Respiração Aérea: Uma das características mais notáveis dos Aruanãs é sua capacidade de respirar ar atmosférico. Eles têm um órgão acessório chamado de bexiga natatória modificada, que lhes permite capturar oxigênio diretamente da superfície da água. Isso lhes confere uma vantagem em ambientes aquáticos com baixos níveis de oxigênio ou águas estagnadas. Habitat Natural: Os Aruanãs são encontrados principalmente em ambientes de água doce, como lagos, rios, igarapés e pântanos, preferindo áreas com águas calmas e de corrente lenta. Eles são nativos das florestas tropicais da América do Sul e podem ser encontrados em países como Brasil, Colômbia, Peru e Guiana. Alimentação Predatória: Os Aruanãs são predadores vorazes e se alimentam principalmente de outros peixes, insetos e pequenos vertebrados que encontram na superfície da água. Eles são conhecidos por sua capacidade de saltar da água para capturar presas, o que lhes permite caçar insetos, pássaros e até mesmo pequenos mamíferos que estão à beira dos corpos d'água. Longevidade e Tamanho: Em condições ideais de cativeiro, os Aruanãs podem viver entre 10 e 15 anos, e às vezes até mais. Eles também podem crescer consideravelmente, com alguns indivíduos atingindo até 1 metro de comprimento em seu ambiente natural. Popularidade em Aquarismo: Devido à sua beleza exótica e comportamento interessante, os Aruanãs são altamente valorizados por aquaristas em todo o mundo. No entanto, é importante notar que manter um Aruanã em cativeiro requer um aquário grande o suficiente para acomodar seu tamanho adulto e água de qualidade.

Imagem do produto Betta

Betta

Betta splendens é um peixe do grupo dos anabantídeos e possui um órgão respiratório auxiliar chamado "labirinto", um pulmão primitivo capaz de absorver oxigênio atmosférico, sendo portanto uma espécie de peixe de respiração bimodal. Com isso, respira tanto oxigênio dissolvido na água pelas brânquias, quanto oxigênio atmosférico, e não deve ser privado de nenhum dos dois. É um peixe originário da Tailândia e ocorre em quase todo o país. Ao contrário do que muitos acreditam, não é uma espécie originária apenas de arrozais e “poças de água”, ocorrendo em rios, lagoas e charcos. Preferem águas calmas, com pouco movimento e muitas plantas. Durante as secas, com a estratégia evolutiva da respiração bimodal, são capazes de sobreviver com pouca água, oxigênio e comida, porém são períodos curtos durante o ano e não justifica a criação em "betteiras". Na natureza os peixes bettas estão em constante procura de espaço, território e comida, e é muito comum que pulem em busca de mais espaço e melhor qualidade de água, portanto o aquário precisa ser obrigatoriamente tampado. São peixes geralmente calmos com outras espécies, guardando toda sua agressividade para membros da mesma família e peixes de formato similar, como outros bettas, colisas, peixe paraíso e mesmo alguns poecilídeos como platy e molinésia. Brigarão até a morte quando colocados juntos. Apesar disso, também não é recomendado que sejam mantidos com outras espécies menores como tetras e guppys, pois são peixes lentos e podem sofrer mordiscadas em suas caudas e também perder na competição por alimento. Possui um trato digestório sensível. Por conta de sua anatomia, todos os órgãos se concentram no terço posterior do corpo, próximo a boca e aos olhos, tendo a bexiga natatória ocupando os dois terços restantes do corpo. Assim sendo, qualquer excesso de alimentação ou alimentação de baixa digestibilidade causa grandes problemas ao peixe, podendo levar até a óbito. A atenção a alimentação para betta deve ser redobrada, e é outro grande motivo de ser melhor mantido sozinho. Evitar excessos e estipular um dia da semana para jejum é uma boa estratégia para evitar constipação e problemas mais graves. É uma espécie de peixe muito inteligente e capaz de criar vínculos com seres humanos. Aprendem o próprio nome e são capazes de até aprender truques como passar por aros, resolver labirintos e quebra-cabeças simples. Embora muito resistentes a parâmetros variados, são também muito sensíveis a doenças como nadadeiras roídas, síndrome da bexiga natatória, hidropsia e tumores. Requer atenção do tutor para com sua saúde como qualquer outra espécie. O aquário deve ser preparado antes de adquirir o peixe, garantindo que o ciclo do nitrogênio esteja presente e que o pH esteja neutro, sem variações. Bettas vivem felizes em aquários com 15 litros ou mais, preferindo coluna de água de no máximo 40cm, sempre com descansos em alturas variadas. É encontrado em diversas cores e formatos de cauda, sendo as mais populares deltatail, halfmoon e crowntail. As fêmeas normalmente tem a cauda curta, enquanto que os machos cauda longa, porém também é encontrado com cauda curta, sendo chamado de plakat. A variedade "marble" é capaz de mudar de cor ao longo da vida.

Imagem do produto Blue Tang

Blue Tang

O peixe Cirurgião-Paleta, popularmente conhecido como Blue Tang (Paracanthurus hepatus), ou Tang-azul, é uma espécie fascinante que atrai a atenção pelo seu padrão de cores vibrantes e pelo comportamento peculiar. Descrição e Aparência: O Paracanthurus hepatus possui um corpo ovalado e comprimido lateralmente, característico dos peixes da família Acanthuridae. Sua coloração é dominada por um azul elétrico intenso, com uma mancha negra na cauda e uma faixa amarela vertical que atravessa o corpo da cabeça à cauda. Essas cores não apenas os tornam visualmente atraentes, mas também proporcionam camuflagem nos recifes de coral, seu habitat natural. Habitat Natural: Encontrados no Oceano Indo-Pacífico, desde a costa leste da África até as ilhas da Micronésia, os Cirurgiões-Paleta preferem habitats de recifes de coral rasos, onde encontram abrigo e alimento abundante. São frequentemente avistados na Grande Barreira de Corais na Austrália e em outras áreas com recifes ricos em vida marinha. Comportamento: Esses peixes são conhecidos por sua natureza pacífica e são geralmente compatíveis com outros peixes de tamanho similar e temperamento tranquilo em aquários. No entanto, podem ser territorialistas com indivíduos da mesma espécie ou semelhantes em aparência, especialmente em espaços confinados. Importância e Conservação: Os Cirurgiões-Paleta desempenham um papel crucial nos ecossistemas de recifes de coral, ajudando no controle de algas e contribuindo para a diversidade marinha. Infelizmente, enfrentam ameaças como a destruição do habitat, pesca predatória para o comércio de aquários e os impactos das mudanças climáticas nos recifes de coral. Curiosidades: Personagem "Dory": O peixe Cirurgião-Paleta serviu de inspiração para o personagem "Dory" nos filmes da Pixar, "Procurando Nemo" e "Procurando Dory", o que aumentou significativamente sua popularidade. Migração: Estudos indicam que esses peixes podem realizar migrações entre diferentes recifes, demonstrando sua capacidade de adaptação e mobilidade. Espinhos na Cauda: O nome "Cirurgião" deriva dos espinhos cortantes perto da base da cauda, que podem ser usados para defesa quando necessário. Em resumo, o Cirurgião-Paleta é uma espécie cativante e colorida, desempenhando um papel vital nos recifes de coral e atraindo tanto entusiastas quanto conservacionistas interessados na preservação dos ecossistemas marinhos.

Imagem do produto Boca de Jacaré

Boca de Jacaré

O peixe boca de jacaré, pertencente ao gênero Lepisosteus, é uma espécie fascinante conhecida por suas características distintas e adaptações evolutivas: Características Físicas Esses peixes são facilmente reconhecidos pelo corpo alongado e esguio, que se assemelha ao de um jacaré. Possuem um focinho longo repleto de dentes afiados, escamas duras e uma coloração que varia entre verde-oliva, marrom e cinza, o que os ajuda na camuflagem. Habitat Natural São nativos das águas do leste e centro-oeste dos Estados Unidos e sudeste do Canadá, preferindo áreas com vegetação densa em rios, lagos, pântanos e canais com águas calmas ou lentas. Longevidade Os peixes boca de jacaré podem viver entre 10 e 20 anos, demonstrando uma boa adaptação às condições ambientais de seus habitats naturais. Importância Ecológica Desempenham um papel crucial nos ecossistemas aquáticos, ajudando a controlar a população de peixes menores e contribuindo para a dinâmica das cadeias alimentares. Curiosidades Adaptações Pré-Históricas: Considerados fósseis vivos, os peixes boca de jacaré têm uma linhagem evolutiva que remonta a cerca de 100 milhões de anos, mantendo características semelhantes às de seus ancestrais pré-históricos. Respiração Aérea: Possuem a capacidade de respirar ar atmosférico usando uma bexiga natatória modificada, o que permite que se adaptem a ambientes com baixos níveis de oxigênio na água. Nome Científico: Lepisosteus vem do grego antigo, significando "escama óssea", em referência às suas escamas duras e resistentes. Essas características fazem do peixe boca de jacaré uma espécie única e interessante, destacando sua adaptação notável e importância nos ecossistemas aquáticos onde ocorrem naturalmente.

Imagem do produto Colisa Lalia

Colisa Lalia

Origem e Habitat: A Colisa Lalia, conhecida como peixe-beija-flor, é nativa de regiões subtropicais do sul e sudeste da Ásia, incluindo países como Índia, Bangladesh, Nepal e Butão. Elas habitam principalmente águas calmas, como lagos, pântanos e arrozais inundados, onde encontram uma variedade de habitats com vegetação densa e águas relativamente calmas. Características Físicas: Esses peixes têm um corpo pequeno e alongado, podendo alcançar cerca de 5 a 6 centímetros de comprimento quando adultos. Os machos são mais coloridos, exibindo tons vibrantes de azul, vermelho e laranja, enquanto as fêmeas tendem a ser mais discretas, com uma coloração geralmente prateada ou amarelada. Os machos também têm barbatanas mais longas e pontiagudas, especialmente a dorsal. Comportamento e Temperamento: Em aquários, as Colisas Lalia são geralmente pacíficas e podem conviver bem com outras espécies tranquilas que compartilhem de requisitos de água semelhantes. Elas são conhecidas por sua personalidade curiosa e, às vezes, interativa, observando e respondendo ao ambiente ao seu redor. Durante a época de reprodução, os machos podem se tornar territorialistas, construindo ninhos de bolhas e exibindo comportamentos de corte. Manutenção em Aquário: Para manter a Colisa Lalia saudável, é essencial oferecer um ambiente adequado no aquário. Elas preferem águas ligeiramente ácidas a neutras, com pH entre 6,0 e 7,5, e uma temperatura entre 24°C e 28°C. O aquário deve ser bem plantado, oferecendo áreas de esconderijo e plantas flutuantes para replicar seu habitat natural e proporcionar locais de descanso. Curiosidades: Os machos de Colisa Lalia podem mudar sua coloração dependendo de seu estado emocional, ficando mais intensamente coloridos durante o acasalamento ou quando se sentem ameaçados. Durante o período de reprodução, os machos constroem ninhos de bolhas na superfície da água, onde os ovos são depositados e protegidos até a eclosão. A Colisa Lalia é frequentemente recomendada para aquaristas iniciantes devido à sua robustez e facilidade de cuidado, desde que as condições básicas do aquário sejam atendidas. A Colisa Lalia é uma adição encantadora e relativamente fácil de cuidar para aquários domésticos, oferecendo não apenas cores vibrantes, mas também comportamentos interessantes para observação e estudo.

Imagem do produto Flowerhorn

Flowerhorn

O Flowerhorn é um peixe ornamental que tem conquistado aquaristas em todo o mundo com sua aparência única, comportamento vivaz e a crença popular de que traz boa sorte. Vamos explorar mais a fundo essa fascinante espécie híbrida, abordando sua origem, características e curiosidades. Origem e História O Flowerhorn é uma criação relativamente recente, surgida na década de 1990 no Sudeste Asiático, especificamente na Malásia e na Tailândia. Ele é o resultado de cruzamentos seletivos entre várias espécies de ciclídeos americanos, incluindo Cichlasoma trimaculatum, Cichlasoma festae e outras espécies da família Cichlidae. Os criadores buscavam um peixe com cores vibrantes, uma personalidade marcante e características físicas distintivas, como a proeminente corcova na cabeça, conhecida como "nuchal hump" ou "kok". Características Físicas Uma das características mais marcantes do Flowerhorn é a corcova na cabeça, que varia de tamanho e forma entre os indivíduos. Além disso, os Flowerhorns são conhecidos por suas cores vivas e padrões únicos, que podem incluir tons de vermelho, azul, verde, amarelo e preto. Seu corpo é robusto e alongado, com barbatanas bem desenvolvidas que podem apresentar uma variedade de formas e tamanhos. O tamanho do Flowerhorn é impressionante, com adultos atingindo entre 25 a 35 centímetros de comprimento, e em alguns casos, até maiores. Seu peso pode variar de 500 gramas a 1,5 quilos, dependendo das condições de criação e cuidados recebidos. Comportamento e Personalidade Os Flowerhorns são peixes territoriais e podem ser bastante agressivos, especialmente com outros peixes. Eles são inteligentes e podem reconhecer seus donos, chegando a responder à sua presença e até interagir de maneira quase lúdica. Essa personalidade única é uma das razões pelas quais tantos aquaristas se apaixonam por eles. Curiosidades Boa Sorte: Em várias culturas asiáticas, os Flowerhorns são considerados símbolos de boa sorte e prosperidade. Acredita-se que a corcova maior na cabeça seja um indicativo de maior sorte. Personalização: Alguns criadores conseguem desenvolver linhagens específicas com padrões e cores exclusivas, tornando cada Flowerhorn praticamente único. Popularidade: Apesar de sua origem recente, o Flowerhorn ganhou popularidade global rapidamente e agora é um dos peixes ornamentais mais apreciados e valiosos. Competição: Existem competições e exposições dedicadas exclusivamente a Flowerhorns, onde os peixes são avaliados por sua cor, padrão, forma corporal e tamanho da corcova. Conclusão O Flowerhorn é mais do que apenas um peixe ornamental; ele é uma maravilha da aquicultura moderna. Com suas cores vibrantes, personalidade marcante e a crença cultural de trazer boa sorte, ele se destaca como uma das espécies mais fascinantes para os entusiastas de aquários. Fornecer os cuidados adequados e um ambiente propício permite que esses peixes prosperem e continuem a encantar seus donos por muitos anos.

Imagem do produto Green Terror

Green Terror

O Green Terror, cientificamente conhecido como Andinoacara rivulatus, é um ciclídeo de água doce muito apreciado pelos aquaristas devido à sua coloração vibrante e personalidade distinta. Originário das águas da América do Sul, especialmente no Equador e no Peru, este peixe é conhecido por seu comportamento territorial e agressivo, características que fazem jus ao seu nome comum. Classificação e Nomenclatura Nome Científico: Andinoacara rivulatus Nomes Comuns: Green Terror, Green Terror Cichlid Família: Cichlidae Aparência O Green Terror é famoso por sua coloração deslumbrante. As cores predominantes são o verde e o azul, muitas vezes com reflexos metálicos. As nadadeiras apresentam bordas laranja ou vermelhas, o que adiciona ainda mais à sua aparência impressionante. Os machos geralmente são maiores e exibem cores mais vivas do que as fêmeas, além de desenvolverem uma corcova nucal (giba) à medida que amadurecem. Habitat Natural Distribuição: Os Green Terrors são nativos dos rios e riachos da América do Sul, particularmente no Equador e no Peru. Ambiente: Eles habitam áreas de fluxo lento ou estagnado, onde a vegetação é abundante e há muitos esconderijos naturais, como rochas e troncos submersos. Tamanho e Crescimento Tamanho Máximo: Em aquários, os Green Terrors podem atingir até 30 cm de comprimento. Na natureza, eles podem crescer um pouco mais. Taxa de Crescimento: Crescem rapidamente durante os primeiros anos de vida, especialmente quando mantidos em condições ideais. Comportamento e Temperamento O nome "Green Terror" não é acidental. Este peixe é conhecido por seu comportamento agressivo e territorial. São especialmente agressivos durante a época de reprodução e quando estabelecem território. É importante considerar essa agressividade ao escolher companheiros de aquário. Expectativa de Vida Com os cuidados adequados, os Green Terrors podem viver de 10 a 15 anos em aquários. A longevidade depende de fatores como dieta, qualidade da água e condições gerais de cuidado. Curiosidades Nome Apropriado: O nome "Green Terror" reflete bem a natureza agressiva e dominante deste peixe, especialmente em aquários comunitários. Coloração: A intensidade da cor dos Green Terrors pode ser um indicativo de sua saúde e bem-estar. Cores vivas geralmente refletem boa saúde. Cuidado Parental: Eles são conhecidos por seu cuidado parental, uma característica fascinante de observar. Os pais cuidam dos ovos e protegem os alevinos até que sejam capazes de se defender sozinhos. Conclusão O Green Terror é uma adição fascinante e vibrante para qualquer aquário, mas requer cuidados específicos devido ao seu comportamento agressivo e necessidades ambientais. Com o cuidado e ambiente adequados, estes peixes podem prosperar e exibir seu comportamento natural impressionante, proporcionando anos de beleza e interesse no aquário.

Imagem do produto Guppy

Guppy

O Guppy, popularmente conhecido por Lebiste é um peixe de comportamento pacífico, fácil de criar e de rápida reprodução. A maturidade reprodutiva da fêmea acontece a partir de 2,5 meses, gerando em média de 5 a 10 alevinos, quantidade que aumenta durante o seu crescimento. Porém algumas fêmeas adultas mesmo gigantes (em torno de 6 a 7cm) podem estar saudáveis e com boa estrutura, mas que já chegaram no ciclo final de sua fertilidade gerando poucos alevinos até cessar de vez. Portanto, fêmeas maiores não significa maior quantidade de alevinos. Ao adquirir guppies o ideal é sempre optar por peixes jovens para que você obtenha muitas ninhadas e aprecie por mais tempo seus peixes. Essa é a magia na criação de guppies, cores vivas, peixes muito bonitos e ativos no aquário, com uma renovação constante de gerações. É importante lembrar que o guppy é um peixe de metabolismo acelerado, crescimento rápido, sendo assim ele precisa de boa alimentação durante a transição alevino/jovem/adulto. O recomendável é alimentar de 3 a 4 vezes ao dia em pequenas porções que são rapidamente consumidas. Lembrando que, aquários com muitos filhotes é preciso ao alimentar e ficar atento para que todos sejam saciados igualmente. Antigamente acreditava-se que ao manter muitos filhotes num mesmo aquário pode haver liberação de "hormônios" dos machos maiores a fim de inibir o crescimento dos irmãos. Porém, num aquário repleto de alevinos quando é oferecida uma porção de ração, só os mais ágeis e espertos vão comer primeiro e com o tempo crescerão muito mais rápido que os irmãos mais lentos, isto explica a diferença de tamanho entre alevinos de uma mesma ninhada. Portanto, num aquário cheio de peixes, alimente várias vezes mas sem deixar sobras, garantindo que todos se alimentem de forma homogênea. As fêmeas em especial necessitam de uma dose extra de proteína após a reprodução , a fim de repor o que foi usado de proteína do seu organismo, na formação dessa ninhada, se puder ofereça artêmias , náuplios de artêmias ou daphnias ou uma ração com maior concentração de proteína. Dados esses fatos, é muito importante que os guppies sejam bem alimentados com rações de qualidade desde seu nascimento, pois um guppy bem alimentado fica mais resistente a doenças, mudanças de temperatura e parâmetros de água. Outro fator muito importante para o crescimento, saúde e boa qualidade de vida dos guppies é a qualidade da água, limpe regularmente os filtros e faça TPAs (troca parcial de água) no mínimo 2 vezes por semana , e no caso de aquários com muitos peixes 3 vezes ou mais quando necessário. Trocando no mínimo 20/30% mesmo com a água cristalina, já ameniza e e evita vários problemas. O Guppy quando criado em água aquecida com temperatura entre 26 a 30° se alimenta mais, cresce mais rápido e se reproduz mais.

Imagem do produto Jack Dempsey

Jack Dempsey

Características Físicas O peixe Jack Dempsey é conhecido por sua aparência robusta e suas cores vibrantes. Ele apresenta um corpo ovalado e comprimido lateralmente, com uma cabeça grande e boca pronunciada. Quando jovens, os Jack Dempseys possuem uma coloração mais clara com manchas iridescentes azuis e verdes. À medida que envelhecem, a cor do corpo escurece, tornando-se mais intensa, com pontos brilhantes de azul e verde que refletem a luz. Os machos adultos geralmente são mais coloridos que as fêmeas e podem desenvolver nadadeiras dorsais e anais mais alongadas. Habitat Natural Os Jack Dempseys são nativos da América Central, encontrados em países como México, Belize, Guatemala, Honduras e El Salvador. Eles habitam águas de movimento lento ou paradas, como lagos, pântanos e rios de fluxo lento, onde a vegetação é abundante e o fundo é geralmente arenoso ou lamoso. Essas águas são tipicamente quentes, com temperaturas variando de 24°C a 28°C, e possuem um pH ligeiramente alcalino, entre 7,0 e 8,0. Comportamento O Jack Dempsey é um peixe territorial e pode ser bastante agressivo, especialmente durante a época de reprodução. Eles são conhecidos por defender vigorosamente seu território contra intrusos. Este comportamento pode tornar desafiador mantê-los em aquários comunitários, a menos que os companheiros de tanque sejam escolhidos cuidadosamente e o aquário seja grande o suficiente para permitir territórios separados. Apesar de sua agressividade, os Jack Dempseys são peixes inteligentes e podem reconhecer seus cuidadores. Eles podem exibir comportamentos curiosos e interativos, tornando-os uma escolha interessante para aquaristas experientes. Curiosidades Nome Popular: O nome "Jack Dempsey" foi dado em homenagem ao famoso boxeador dos anos 1920, Jack Dempsey, devido à natureza agressiva e combativa do peixe. Cores Variáveis: A coloração dos Jack Dempseys pode mudar de acordo com seu humor, saúde e condição de reprodução. Eles podem exibir cores mais vibrantes quando estão saudáveis e felizes. Inteligência: Jack Dempseys são conhecidos por sua inteligência. Eles podem aprender a reconhecer seus cuidadores e até mesmo vir à superfície do aquário para receber comida. Os Jack Dempseys são uma espécie fascinante e gratificante para manter em um aquário, especialmente para aquaristas que estão preparados para lidar com suas necessidades específicas e comportamento territorial. Com os cuidados adequados, esses peixes podem ser uma adição vibrante e dinâmica a qualquer aquário de água doce.

Imagem do produto Labeo Bicolor

Labeo Bicolor

O Labeo Bicolor, popularmente conhecido como tubarão-de-cauda-vermelha, é uma espécie fascinante que atrai a atenção de aquaristas em todo o mundo. Originário das bacias hidrográficas da Tailândia, particularmente do rio Chao Phraya e seus afluentes, esse peixe é valorizado por sua aparência vibrante e comportamento interessante. Características Físicas O Labeo Bicolor possui um corpo alongado e fusiforme, coberto por escamas pretas aveludadas que contrastam dramaticamente com sua cauda vermelha brilhante. Esta coloração distintiva é o que dá ao peixe seu nome comum. Em aquários, ele pode atingir um comprimento de 12 a 15 centímetros, embora exemplares selvagens possam crescer um pouco mais. Habitat e Origem No ambiente natural, o Labeo Bicolor habita rios e córregos de fluxo moderado a rápido, bem como áreas inundadas durante a estação das monções. Infelizmente, devido à perda de habitat e à poluição, a população selvagem desse peixe está criticamente ameaçada. A maioria dos exemplares disponíveis no comércio de aquários provém de criadores. Comportamento e Compatibilidade Apesar de seu tamanho relativamente pequeno, o tubarão-de-cauda-vermelha é conhecido por ser territorial e, às vezes, agressivo, especialmente com peixes da mesma espécie ou com aparência semelhante. Ele defende vigorosamente seu território, o que pode levar a conflitos em aquários comunitários. Portanto, é recomendável mantê-lo em aquários espaçosos com muitos esconderijos e áreas bem definidas para reduzir o comportamento territorial. Curiosidades Habilidade de Natação: Apesar de serem chamados de "tubarões" devido à forma de seu corpo e nadadeiras, eles não são verdadeiros tubarões. No entanto, são nadadores vigorosos e ágeis, frequentemente vistos patrulhando seu território. Comportamento de Alimentação: Eles são conhecidos por sua habilidade de limpar algas, o que pode ser benéfico para manter o aquário limpo. No entanto, eles também podem se tornar oportunistas e se alimentar de pequenas criaturas e plantas aquáticas. Sensibilidade ao Estresse: Estes peixes podem ser bastante sensíveis a mudanças no ambiente, incluindo variações na qualidade da água e companheiros de tanque inadequados. O estresse pode levar a doenças e encurtar sua expectativa de vida. Conservação Devido à sua popularidade no comércio de aquários, muitos exemplares de Labeo Bicolor são criados por criadores dedicados. Isso ajuda a reduzir a pressão sobre as populações selvagens. No entanto, é importante para os aquaristas estarem cientes das condições de vida adequadas e das necessidades específicas da espécie para promover uma vida saudável e reduzir a agressividade no aquário. Conclusão O Labeo Bicolor é uma espécie cativante que pode ser uma adição deslumbrante a qualquer aquário, desde que suas necessidades sejam adequadamente atendidas. Seu comportamento territorial e requisitos específicos de cuidados fazem dele um desafio intrigante para aquaristas mais experientes. Com o ambiente correto e cuidados adequados, o tubarão-de-cauda-vermelha pode prosperar e exibir todo o seu esplendor por muitos anos.

Imagem do produto Molinésia

Molinésia

A Molinésia, conhecida cientificamente como Poecilia sphenops, é um peixe de água doce popular entre os aquaristas devido à sua resistência e facilidade de cuidado. Originária da América Central e do Norte, habita rios, lagos e estuários de água salobra. Descrita pela primeira vez em 1846, a Molinésia se destaca pela diversidade de cores e padrões, incluindo variedades pretas, douradas, prateadas e até multicoloridas. Ela é pacífica e sociável, convivendo bem com outras espécies de temperamento similar, mas deve ser mantida longe de peixes muito agressivos. Ativas e curiosas, as Molinésias exploram todas as áreas do aquário. Sua capacidade de adaptação permite que vivam tanto em água doce quanto salobra. Apesar de resistentes, requerem cuidados adequados, como trocas regulares de água e boa filtragem. São suscetíveis a doenças como "Ictio" e podridão das nadadeiras, geralmente evitáveis com manutenção adequada. Interessantemente, Molinésias podem saltar, por isso uma tampa segura no aquário é essencial. Elas também se comunicam por movimentos corporais e mudanças de cor, observáveis durante a corte ou disputas territoriais. Molinésias podem hibridizar com outras espécies do gênero Poecilia, resultando em proles únicas. Além de sua popularidade em aquarismo, são usadas em pesquisas científicas devido à facilidade de manutenção e rápida taxa de reprodução, contribuindo para estudos em genética, comportamento e ecologia. A Molinésia é fascinante tanto por sua adaptabilidade quanto por sua beleza, tornando-se uma escolha excelente para aquaristas de todos os níveis.

Imagem do produto Oscar

Oscar

Os Oscars são uma espécie de peixe de água doce nativa da América do Sul e são conhecidos por sua personalidade vibrante e tamanho impressionante. Aqui estão algumas informações mais concisas sobre essa espécie: Origem e Habitat: Os Oscars são nativos da América do Sul, encontrados em rios e lagos da bacia amazônica e de seus afluentes, como os rios Amazonas, Orinoco e Paraná. Personalidade: São conhecidos por sua inteligência e personalidade expressiva. Alguns donos relatam que esses peixes podem ser treinados para reconhecer e até mesmo interagir com seus cuidadores. Alimentação: São onívoros e se alimentam de uma variedade de alimentos, incluindo ração específica para peixes onívoros com tendências carnívoras, além de alimentos vivos ou congelados, como camarões, minhocas e larvas de insetos. Comportamento de Criação: Durante a temporada de reprodução, os Oscars podem se tornar territorialistas e agressivos, especialmente com outros peixes que invadem seu espaço. Aquário Adequado: Eles requerem um aquário espaçoso, de pelo menos 200 litros para um único peixe, com mais espaço recomendado para pares ou grupos. É importante fornecer muitos esconderijos e áreas abertas para natação. Variedades de Cores: Existem várias variedades de cores de Oscars disponíveis, incluindo padrões selvagens, albinos, tigres, leopardo, entre outros. Seus padrões de cores vibrantes os tornam populares entre os aquaristas. Em resumo, os Oscars são peixes fascinantes e desafiadores de criar, mas proporcionam muita diversão e entretenimento para os aquaristas dedicados. Com os cuidados adequados e um ambiente adequado, esses magníficos peixes podem prosperar em um aquário.

Imagem do produto Paulistinha

Paulistinha

O Danio rerio, conhecido popularmente como peixe Paulistinha ou Danio zebra, é um peixe de água doce pequeno e vibrante amplamente apreciado em aquários por sua beleza e comportamento ativo. Originário do sul da Ásia, especificamente das águas rápidas e claras dos rios da Índia, Bangladesh, Nepal e Butão, o Danio rerio é uma espécie popular entre aquaristas iniciantes e experientes. Descrição Física: O Danio rerio tem um corpo esguio e alongado que geralmente cresce até cerca de 3-5 centímetros de comprimento quando adulto. Seu padrão característico de listras horizontais pretas e brancas, semelhante ao de uma zebra, é uma marca registrada da espécie. Além da forma selvagem, que exibe essas listras, existem várias variedades geneticamente modificadas com cores diferentes, como o albino, dourado e leopardo. Comportamento e Habitat: Em seu habitat natural, o Danio rerio é encontrado em águas rasas e de fluxo rápido, onde se alimenta de pequenos invertebrados e algas. Esse ambiente influenciou seu comportamento ativo e exploratório, tornando-o um nadador ágil e sociável no aquário. São peixes conhecidos por serem pacíficos e adaptáveis, sendo compatíveis com uma variedade de outras espécies de peixes de água doce. Cuidados em Aquário: Para manter um Danio rerio saudável, é essencial fornecer um ambiente adequado com boa filtragem e água limpa. Preferem água ligeiramente ácida a neutra, com pH entre 6,5 e 7,5, e temperatura entre 22°C e 26°C. Uma dieta variada que inclua alimentos vivos, congelados e ração seca ajudará a manter sua saúde e vitalidade. Curiosidades: Danios zebras são frequentemente usados em estudos científicos devido à sua rápida maturação e reprodução, sendo úteis em pesquisas genéticas e biológicas. São peixes resistentes e podem tolerar uma variedade de condições de água, tornando-os uma escolha popular entre os aquaristas. A coloração e o padrão das listras dos Danios podem variar significativamente entre indivíduos, o que os torna interessantes para observação e seleção. Em resumo, o Danio rerio é um peixe de água doce cativante, fácil de cuidar e adequado para aquários de todos os tamanhos. Sua natureza ativa, cores vibrantes e facilidade de adaptação fazem dele uma adição popular e duradoura aos aquários domésticos ao redor do mundo.

Imagem do produto Peixe-Leão

Peixe-Leão

O Peixe-Leão, com sua beleza exótica e cores vibrantes, é uma espécie fascinante que habita os recifes de coral tropicais do Indo-Pacífico. Embora seja uma maravilha natural em seu habitat nativo, o Peixe-Leão tornou-se uma preocupação significativa em algumas regiões, como o Caribe e partes do Atlântico Ocidental, onde foi introduzido acidentalmente ou deliberadamente. Sua introdução nessas áreas pode ter efeitos negativos sobre os ecossistemas locais, pois são predadores vorazes e competem com espécies nativas por alimentos e espaço. Uma das características mais notáveis do Peixe-Leão são suas espinhas dorsais longas e venenosas. Essas espinhas, que contêm veneno nas glândulas ao longo delas, são uma forma eficaz de defesa contra predadores. Se ameaçado, o Peixe-Leão pode liberar seu veneno, causando dor intensa e desconforto para qualquer animal (incluindo humanos) que entre em contato com suas espinhas. Além das espinhas venenosas, o Peixe-Leão possui outras adaptações físicas notáveis. Seu padrão de cores listrado e suas nadadeiras esvoaçantes não apenas proporcionam uma camuflagem eficaz em seu habitat natural, mas também ajudam a atrair presas durante a caça. Devido ao seu impacto negativo em ecossistemas não nativos, várias iniciativas de controle e gestão foram implementadas para lidar com populações invasoras de Peixe-Leão. Isso inclui programas de pesca e até mesmo incentivos para consumir Peixe-Leão como uma alternativa alimentar em algumas áreas. Embora o Peixe-Leão possa representar desafios em algumas regiões como uma espécie invasora, é importante lembrar que em seu habitat nativo, ele desempenha um papel vital no equilíbrio ecológico dos recifes de coral. Esses peixes magníficos continuam a fascinar e intrigar cientistas, mergulhadores e entusiastas da vida marinha em todo o mundo.

Imagem do produto Peixe-palhaço

Peixe-palhaço

Os Peixes-palhaço, pertencentes à subfamília Amphiprioninae, são uma das espécies mais populares em aquários domésticos devido à sua beleza e comportamento único. Atualmente, reconhecem-se mais de 30 espécies dentro desse grupo, incluindo o Amphiprion ocellaris, Amphiprion percula, Amphiprion clarkii e Premnas biaculeatus. Uma das características mais marcantes dos Peixes-palhaço é a sua relação simbiótica com as anêmonas-do-mar. Vivendo entre os tentáculos das anêmonas, esses peixes encontram proteção contra predadores, enquanto as anêmonas se beneficiam do fornecimento de nutrientes e oxigênio pelos peixes. Esses peixes têm um sistema social único. Todos os Peixes-palhaço nascem machos e, à medida que crescem, o indivíduo dominante de um grupo se torna a fêmea reprodutiva. Se a fêmea morrer, o macho dominante do grupo se transforma em uma nova fêmea. Isso é conhecido como protandria. No ambiente do aquário, os Peixes-palhaço podem demonstrar comportamento territorial, defendendo vigorosamente suas áreas, especialmente próximos às anêmonas-do-mar. Eles são conhecidos por suas cores vibrantes e padrões distintivos, que podem variar conforme a espécie e o local de origem. Devido à sua popularidade, os Peixes-palhaço são frequentemente criados em aquários domésticos. No entanto, é crucial fornecer um ambiente adequado, com espaço suficiente e condições de água estáveis para garantir seu bem-estar. Os Peixes-palhaço também são frequentemente retratados na cultura popular, incluindo filmes, programas de TV e obras de arte. O filme da Disney "Procurando Nemo" contribuiu para aumentar ainda mais a conscientização sobre esses peixes e sua relação com as anêmonas-do-mar. Em resumo, os Peixes-palhaço da subfamília Amphiprioninae são animais fascinantes que cativam as pessoas com sua beleza e comportamento único. Sua relação simbiótica com as anêmonas-do-mar, sistema social intrigante e cores vibrantes os tornam uma adição especial aos aquários domésticos.

Imagem do produto Platy

Platy

O peixe Platy, também conhecido como Xiphophorus maculatus, é uma espécie nativa da América Central, encontrado em áreas como o México, Guatemala e Honduras. Sua presença é notável em ambientes naturais, como riachos e lagoas de fluxo lento. Apresentando corpos lateralmente achatados e caudas em forma de leque, os Platys exibem uma beleza vibrante com uma ampla variedade de cores, que vão do laranja ao preto. São peixes pacíficos e sociáveis, preferindo viver em grupos e coexistir harmoniosamente com outras espécies. Os Platys são conhecidos por sua reprodução fácil. Eles são ovovivíparos, o que significa que os jovens se desenvolvem dentro do corpo da fêmea até o momento do nascimento. Em termos de cuidados, são considerados de baixa manutenção, preferindo água levemente alcalina e temperaturas entre 22°C e 26°C. Uma dieta variada é crucial para sua saúde, incluindo flocos de peixe de qualidade e alimentos vivos ou congelados. Há diversas variedades de Platys, cada uma com características distintas, como o Platy de cauda dupla ou o Platy de cauda de véu. Apesar de populares em aquários, é importante controlar sua introdução em novos ambientes, pois podem se tornar espécies invasoras em certas regiões. Em resumo, os Platys são peixes encantadores, ideais para aquaristas devido à sua beleza, temperamento tranquilo e facilidade de cuidado. Sua presença viva e cores deslumbrantes os tornam uma adição atraente a qualquer aquário de água doce.

Imagem do produto Polypterus

Polypterus

O gênero Polypterus é um grupo fascinante de peixes de água doce nativos da África. Pertencentes à família Polypteridae, esses peixes são notáveis por suas características primitivas e aparência que remonta aos peixes pré-históricos. Aqui estão alguns aspectos interessantes sobre essa espécie: Origens e Distribuição Os Polypterus são encontrados em uma variedade de habitats aquáticos na África, incluindo rios, lagos, pântanos e planícies aluviais. Eles são mais comuns em águas calmas e lentas, onde podem explorar eficazmente sua capacidade de respiração aérea em áreas com baixo teor de oxigênio. Características Físicas Esses peixes possuem corpos alongados e cilíndricos, cobertos por escamas ganoides robustas, típicas de peixes primitivos. Suas nadadeiras dorsais são distintas, compostas por pequenas espinhas individuais ao invés de uma única nadadeira contínua. Além de suas brânquias, Polypterus possuem pulmões primitivos, permitindo-lhes respirar ar atmosférico, o que é adaptativo para ambientes aquáticos variáveis. Comportamento Polypterus são predadores noturnos que se alimentam principalmente de pequenos peixes, crustáceos e insetos aquáticos. Durante o dia, tendem a se esconder entre vegetação densa ou debaixo de troncos submersos, emergindo à noite para caçar. São conhecidos por seu comportamento territorial, especialmente os machos, que podem se mostrar agressivos com outros peixes em espaços confinados. Curiosidades Adaptações Primitivas: São frequentemente chamados de "fósseis vivos" devido à sua aparência que lembra os peixes pré-históricos, como os encontrados em fósseis antigos. Respiração Aérea: A capacidade de respirar ar permite que sobrevivam em condições de água com baixo oxigênio, uma adaptação crucial para sua sobrevivência. Regeneração: Demonstram uma notável capacidade de regeneração, podendo recuperar partes danificadas de suas nadadeiras ao longo do tempo. Conclusão Polypterus são peixes fascinantes não apenas pela sua história evolutiva única, mas também pela sua adaptação impressionante aos ambientes aquáticos africanos. Para aqueles que mantêm Polypterus em aquários, é essencial replicar esses aspectos naturais em termos de habitat e cuidados, proporcionando um ambiente seguro e estimulante para esses "fósseis vivos" prosperarem.

Imagem do produto Ramirezi

Ramirezi

O peixe Ramirezi (Mikrogeophagus ramirezi), também conhecido como ciclídeo-borboleta, é uma espécie fascinante que cativa aquaristas em todo o mundo por suas cores vibrantes e comportamento intrigante. Originário das bacias dos rios Orinoco e Amazonas, na América do Sul, o ramirezi também é chamado de ciclídeo-borboleta devido à sua aparência delicada e comportamento ágil. Descrição e Aparência Os ramirezis são peixes pequenos, medindo geralmente entre 5 a 7 cm de comprimento. Suas cores são uma das características mais marcantes, variando entre tons de azul, amarelo, vermelho e laranja. Os machos tendem a ter cores mais vivas e nadadeiras dorsais mais alongadas, enquanto as fêmeas são ligeiramente menores, mais arredondadas e muitas vezes apresentam uma mancha rosada no ventre, especialmente durante a época de reprodução. Comportamento e Temperamento De temperamento pacífico, os ramirezis são conhecidos por sua natureza social e interativa, tanto com outros peixes quanto com seus cuidadores humanos. Apesar de sua natureza geralmente tranquila, eles podem se tornar territoriais durante a reprodução, defendendo seus ovos e filhotes com vigor. Em um aquário comunitário, eles geralmente se dão bem com outras espécies pacíficas, mas devem ser mantidos longe de peixes agressivos ou muito maiores. Habitat Natural Em seu habitat natural, os ramirezis vivem em águas claras e lentas, com substratos arenosos e muita vegetação aquática. Eles preferem águas levemente ácidas e de temperatura estável. Para replicar essas condições em cativeiro, é importante oferecer um aquário bem plantado com muitos esconderijos, como rochas e troncos, além de um substrato arenoso ou de granulometria fina. Curiosidades Variedades de Cor: Existem várias variedades de ramirezis, como o ramirezi dourado, o ramirezi azul elétrico e o ramirezi balão. Essas variedades são resultados de seleções cuidadosas e cruzamentos para realçar certas características. Inteligência e Interação: Os ramirezis são peixes inteligentes que podem reconhecer seus donos e responder a interações externas. Eles podem aprender a se alimentar diretamente da mão de seus cuidadores. Nome Popular: O nome "ciclídeo-borboleta" se deve ao seu comportamento ágil e cores brilhantes, que lembram uma borboleta. Sensibilidade: Ramirezis são sensíveis a mudanças na qualidade da água e podem ser um bom indicador da saúde geral do aquário. Manter a água limpa e estável é crucial para evitar doenças. Saúde e Doenças Os ramirezis são suscetíveis a doenças comuns em aquários, como a ictioftiríase (doença dos pontos brancos) e infecções bacterianas. Manter a qualidade da água e uma dieta balanceada é crucial para prevenir doenças. Se um peixe ficar doente, é importante agir rapidamente com tratamentos apropriados e, se necessário, isolar o peixe afetado. Conclusão O peixe ramirezi é uma escolha excelente para aquaristas de todos os níveis de experiência devido à sua beleza, comportamento interessante e relativa facilidade de cuidado. Observá-los em um ambiente bem cuidado é uma experiência recompensadora que revela a maravilha e a complexidade da vida aquática. Com as condições adequadas, os ramirezis podem prosperar e trazer muita alegria e cor ao seu aquário, proporcionando momentos de contemplação e aprendizado contínuo sobre a vida aquática.

Imagem do produto Tucunaré

Tucunaré

Considerado por muitos o principal astro da pesca esportiva, os tucunarés ganharam a admiração dos aquaristas e podem ser considerados hoje os reis do aquarismo jumbo. Com cores vibrantes em diferentes tons de azul, amarelo e vermelho, comportamentos elaborados e sua grande voracidade, os tucunarés são cada vez mais comuns no aquarismo. Os tucunarés são peixes da família dos Ciclídeos (parentes dos pequenos Apistogramas e dos mega coloridos ciclídeos africanos) e podem ser considerados os maiores representantes dessa família nas águas doces da América do Sul. Seu nome popular (Tucunaré) vem do Tupi “tucun” (árvore) e “aré” (amigo), ou seja, “amigo da árvore” provavelmente porque na natureza as espécies costumam ser encontradas próximas à galhadas, troncos ou árvores submersas. Atualmente os tucunarés (gênero Cichla) são representados por 16 espécies: C. orinocensis e C. intermedia (Rio Orinoco); C. monoculus e C. ocellaris (Rio Amazonas); C. cataractae (Rio Essequibo); C. temensis (Rio Orinoco e Amazonas); C. jariina (Rio Jari); C. kelberi (Rio Araguaia e Tocantins); C. piquiti (Rio Tocantins e Capim); C. melaniae (Rio Xingu); C. mirianae (Rio Tocantins e Xingu); C. nigromaculata (Alto Rio Orinoco e Médio Rio Negro); C. pinima (Baixo Rio Amazonas); C. pleiozona (Rio Guaporé); C. thyrorus (Rio Trombetas acima da Cachoeira Porteira) e C. vazzoleri (Rio Uatumã e Baixo Trombetas). Os tucunarés são nativos das drenagens do norte da América do Sul, mas já foram introduzidos em diversas regiões devido ao seu protagonismo na pesca esportiva e recentemente no aquarismo jumbo. No aquarismo as espécies mais difundidas são o tucunaré amarelo (C. kelberi), o azul (C. piquiti) e mais recentemente o pinima (C. pinima). Quem tem e gosta de tucunarés deve exercer o aquarismo de forma consciente e responsável e em hipótese nenhuma soltar indivíduos em ambientes naturais. A soltura dessas espécies em ambiente natural pode provocar desequilíbrios ecológicos e caso seja em um local onde a espécie não é nativa isso também é tipificado como crime. Fique ligado!

Imagem do produto Yellow Tang

Yellow Tang

O Yellow Tang (Zebrasoma flavescens) é um peixe marinho conhecido por sua cor amarelo brilhante e por ser uma adição popular a aquários de recife. Aqui estão algumas informações importantes e curiosidades sobre essa espécie: Descrição Física O Yellow Tang possui um corpo oval alongado, com uma única barbatana dorsal longa e uma cauda bifurcada. Sua cor característica é um amarelo vibrante, que pode variar de tonalidade dependendo do ambiente e da dieta. Habitat Natural Originário das águas tropicais do Pacífico Central e Ocidental, especialmente ao redor das ilhas do Havaí, o Yellow Tang habita recifes de coral rasos onde pode encontrar uma variedade de algas para se alimentar. Comportamento Esses peixes são ativos e ágeis nadadores, frequentemente encontrados em pequenos grupos ou pares nas proximidades dos recifes. São pacíficos em relação a outras espécies, mas podem ser territorialistas com peixes semelhantes em forma e cor. Longevidade Sob cuidados adequados em aquários bem mantidos, Yellow Tangs podem viver até 20 anos ou mais, tornando-se uma adição duradoura e fascinante para colecionadores de peixes marinhos. Curiosidades Papel Ecológico: São importantes para o equilíbrio dos recifes de coral, ajudando a controlar o crescimento de algas. Popularidade em Aquários: Devido à sua cor brilhante e comportamento ativo, são altamente valorizados por aquaristas. Sustentabilidade: A captura de Yellow Tangs no ambiente natural levanta preocupações sobre a sustentabilidade, incentivando práticas de aquicultura sustentável. Conservação Embora sejam comuns em aquários, a captura excessiva no ambiente natural pode impactar suas populações. Esforços de conservação, como a aquicultura sustentável e a proteção de habitats marinhos, são essenciais para garantir sua preservação. Em resumo, o Yellow Tang é não apenas um peixe bonito e colorido para aquários marinhos, mas também desempenha um papel significativo nos ecossistemas de recifes de coral. Cuidar desses peixes não apenas beneficia seu bem-estar em um aquário, mas também contribui para a proteção de seus habitats naturais.